Tratamentos

Dermatite Seborreica (Caspa)

caspa 1

Dermatite seborreica, também conhecida pelos nomes de seborréia ou caspa, é uma afecção crônica, não contagiosa, que se manifesta em partes do corpo onde existe maior produção de óleo pelas glândulas sebáceas. A presença de microorganismos  no couro cabeludo, estão relacionados com o aparecimento da doença. Os fungos do gênero Malassezia, eram considerados os principais causadores da doença. No entanto, estudos recentes mostram que a relação da caspa com a proporção de bactérias é mais forte do que a relação com os fungos. A gravidade da doença parece depender mais da diminuição das taxas de Propionibacterium em relação à Staphylococcus do que da ação dos fungos. 

A afecção possui dois picos de incidência. O primeiro, durante os três primeiros meses de vida, e o segundo, a partir da puberdade, atingindo seu ápice entre os 40 e 60 anos de idade. A apresentação bimodal da doença (ao nascimento e pós-puberal) sugere que ela esteja relacionada a hormônios sexuais. Os homens são acometidos com maior frequência em todas as faixas etárias e não há predileção racial.

Causas

As causas da dermatite seborreica não são conhecidas. Sabe-se que alterações hormonais, estresse, clima seco, frio e mudanças bruscas de temperatura agravam o quadro.

Os indivíduos HIV positivos têm maior prevalência da doença, que apresenta maior intensidade e tendência à refratariedade ao tratamento. Doenças neurológicas e outras doenças crônicas também estão associadas ao desenvolvimento da dermatite seborreica.

De acordo com os resultados dos estudos mais recentes, um dos fatores por trás da descamação é o desequilíbrio entre as bactérias que residem no couro cabeludo.  Quando se tem menor quantidade de  Propionibacterium, maior é a quantidade da  Staphylococcus. Isto parece ocorrer, pois as bactérias do gênero Propionibacterium secretam substâncias que suprimem  o crescimento de Staphylococcus.

d. seborreica

Manifestações clínicas

Ela se manifesta sob a forma de lesões avermelhadas que descamam e coçam principalmente no couro cabeludo, sobrancelhas, barba, perto do nariz, atrás e dentro das orelhas, no peito, nas costas e áreas de dobras (axilas e virilha). Nos bebês, é conhecida como crosta láctea, uma placa gordurosa que adere ao couro cabeludo, mas que pode também aparecer na região das fraldas.

Intensidade

  • Leve: Pequenos flocos esbranquiçados junto ao couro cabeludo, próximos à raiz dos fios, visíveis somente com raspagem ou escovação
  • Moderada: Os flocos se encontram soltos entre os fios, sendo visíveis naturalmente, sem qualquer processo como raspagem ou escovação
  • Intensa: Descamação acentuada de flocos de tamanhos variados, abundantes e visíveis na superfície do cabelo e sobre os ombros do indivíduo.

Tratamento

Não existe tratamento para a cura definitiva da dermatite seborreica, mas existem medicamentos específicos para a pele e o couro cabeludo capazes de controlar os sintomas. Medicamentos administrados por via oral também podem ser usados, principalmente em caso de dermatite seborreica extensa e refratária a medicações tópicas.

Recomendações

  • Caspa não é sinal de falta de asseio. caspaEmbora não tenha cura, pode ser controlada com alguns produtos especiais de uso local
  • A caspa quando localizada no couro cabeludo pode propiciar aumento na queda de cabelos. O que diminui com seu controle
  • Evite a ingestão de alimentos gordurosos e bebidas alcoólicas
  • Não tome banhos muito quentes. Enxugue-se bem antes de vestir-se. A umidade pode ser fator desencadeante das lesões
  • Procure usar roupas que não retenham o suor. Tecidos sintéticos costumam ser contraindicados para quem tem tendência à dermatite seborreica
  • Tente controlar a ansiedade e o estresse físico e mental. Não é fácil, mas ajuda
  • Cuidado na hora de aplicar condicionadores de cabelos durante o banho. O ideal é aplicá-lo apenas nos fios, evitando o couro cabeludo
  • Aumente a lavagem dos cabelos.  A lavagem contribui muito para a remoção de agentes poluidores como poeira e elimina a oleosidade excessiva. O ideal é lavar o couro cabeludo todos os dias. Caso, não possa, lavar a cada 1 a 2 dias
  • Passe óleo mineral na cabeça do bebê antes de remover a crosta láctea. Troque suas fraldas com frequência. O contato úmido da fralda com a pele da criança pode favorecer o aparecimento de erupções cutâneas.

 

Ligue Agora e Solicite uma Consulta:

  • (54) 3025.6706
  • (54) 3419.6708
  • (54) 99192.8750

« Voltar para Doenças de pele, cabelo e unha